O Que é Investimento em CDB?

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um dos investimentos mais tradicionais da renda fixa no Brasil. Mas além de ser da renda fixa, você sabe mais detalhes sobre o que é investimento em CDB?

Sem contar as letras do Tesouro Direto, o CDB é um dos investimentos mais seguros e líquidos do mercado nacional e merece atenção de todos os investidores, tanto conservadores quanto aqueles mais arrojados.

O que é investimento em CDB na prática?

O que são os investimentos em CDB?

O CDB é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras com o intuito de captar recursos junto aos seus clientes.

De um lado os clientes ganham a remuneração por estar emprestado o dinheiro ao banco e do outro, o banco pode trabalhar os recursos recebidos por meio do CDB para empréstimos, financiamentos e demais linhas de crédito.

Dessa forma, o banco consegue o “famoso” spread bancário, que nada mais é do que a diferença entre a remuneração paga ao investidor e o juro cobrado sobre os produtos vendidos aos clientes.

O CDB pode ser utilizado para estratégias de curto prazo e longo prazo, sendo que os perfis arrojados, conservadores e moderados podem ser utilizados do CDB em seus portfólios.

Por ser um investimento muito versátil, há diversas formas de utilizar o CDB em sua carteira. Para aqueles que possuem um perfil mais arrojado, os CDBs de longo prazo são os mais interessantes, uma vez que eles possuem rendimentos maiores.

Já os CDBs com liquidez diária são mais recomendados para a reserva de emergência ou para os investidores mais conservadores.

Ao investir em um CDB com liquidez diária os recursos podem ser resgatados a qualquer momento e assim, não há tantos riscos ao investidor.

Investimento em CDB paga imposto de renda?

Sim, paga impostos de renda em uma tabela regressiva. Portanto, aqueles investidores que permanecem aplicados em um CDB até 180 dias, terão a retenção de 22,5% sobre os seus rendimentos.

Já aqueles que permanecerem aplicados até 360 dias sofreram retenção de 20% de IR sobre os seus ganhos, permanecendo 720% a retenção cai para 17,5%, e por fim, aplicações que superarem os 720% terão alíquota de 15%.

Portanto, o mais interessante é permanecer ao menos 721 dias, assim, o investidor consegue aproveitar a rentabilidade do CDB com a menor alíquota possível de IR.

Vale destacar que o CDB é um título de renda fixa que conta com a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Essa proteção vale para valores de até 250 mil reais por instituição financeira e CPF. Mas antes de confiar em qualquer CDB procure mais dados sobre o banco que está emitindo o papel e identifique se o mesmo faz parte do FGC.

Para isso, basta fazer uma simples consulta junto ao site do FGC e procurar por instituições que fazem parte.

Como calcular o rendimento de seu investimento em % de CDB? 

Os CDBs oferecem alguns tipos de rendimentos, dentre os mais comuns existem:

Os três tipos de rendimentos são muito interessantes e possuem suas vantagens e desvantagens, sendo que o atrelado ao CDI é aquele, mas comum e toda instituição oferece.

CDI

O cálculo para determinar qual será a rentabilidade média é bem fácil. Basta o investidor identificar qual é a taxa do CDI no momento e aplicar sobre a porcentagem de rendimento do CDB.

Vamos supor que um CDB está oferecendo 110% do CDI, sendo que o CDI está em 10% ao ano, isso significa que aquele CDB em específico está rendendo 11%, uma vez que 110% de 10% é 11%.

Normalmente, quanto mais longo for o vencimento do CDB, maior será a rentabilidade oferecida. Por exemplo: um CDB que vence em cinco anos, com certeza terá uma rentabilidade maior, do que aquele CDB com liquidez diária, considerando a mesma instituição emissora dos dois CDBs.

Prefixado

Como mencionado, além da rentabilidade atrelada ao CDI, ainda existem os CDBs prefixados. Na modalidade prefixada, o investidor já vai saber de antemão qual será a rentabilidade total, até o vencimento do papel.

Por não estar vinculado a uma taxa pós-fixada, o rendimento já pode ser calculado com antecedência.

Em momentos de queda do juro, o CDB prefixado é algo muito interessante. Normalmente a taxa prefixada oferecida no CDB vai variar conforme o vencimento do papel.

CDBs com vencimento longo tendem a oferecer taxas mais atraentes. Quando o título tem um vencimento curto, essa taxa costuma ser menor e compatível com a taxa de juro do momento.

IPCA mais juro

A outra modalidade de rendimento é aquela atrelada ao IPCA mais juros prefixados. Essa modalidade é um híbrido entre o rendimento prefixado e pós.

Como há a figura do IPCA no rendimento do CDB, o investidor não tem como saber qual será o rendimento final do papel.

Mas existe a certeza que de qualquer forma, no vencimento, o investidor vai receber uma taxa acima da inflação.

Por exemplo, um CDB que oferece IPCA mais 3%, está oferecendo um ganho real de 3% ao investidor.

Podemos chegar a essa conclusão porque independente da inflação, o CDB vai pagar o IPCA mais os 3%.

Em momentos onde a inflação está em alta, o CDB atrelado ao IPCA é uma ótima opção. O vencimento do papel também é um fator que pode influenciar na rentabilidade do CDB.

Para aqueles que têm CDBs com vencimento mais longo, o CDB tende a oferecer taxas maiores, já àqueles com vencimento curto, vão contar com taxas menores.

Então na hora de investir considere a rentabilidade oferecida, qual é a data de vencimento do papel, se existe o FGC por trás da instituição e se o banco é de qualidade e confiável.

Outro ponto: dependendo da instituição financeira, além dos diferentes rendimentos, a CDBs com características diferentes e muito interessantes.

Já existem CDBs de alguns bancos que oferecem pagamento de juros mensais ou anuais. Além disso, há CDBs que podem oferecer dois tipos de rendimentos, sendo que no vencimento, ficará o rendimento que for maior, ou seja, aquele que é mais atraente ao investidor.

Qual a diferença entre CDB e CDI?

Na verdade, não há diferença entre CDI e CDB, uma vez que ambos os certificados têm funções diferentes no contexto dos investimentos. Se possível, afirmar, o CDB e CDI é a mesma coisa.

Enquanto o CDB é um título alvo de aplicação dos investidores, o CDI é uma taxa aplicada sobre o papel e oferecida ao investidor como rendimento.

O que existe é uma relação forte entre o CDB e o CDI. Praticamente todos os bancos oferecem CDBs com rendimentos atrelados ao CDI.

Sendo que o CDI é uma taxa muito atraente quando existe a expectativa de alta do juro. Se o investidor tem o objetivo de construir uma reserva de emergência, ou manter os seus recursos em algo pós-fixado, o CDI é recomendado.

O CDI só deixa de ser atraente quando o juro está em queda e o investimento pode ser feito visando o longo prazo.

No longo prazo, com um cenário de juros em queda, os CDBs prefixados ou atrelados ao IPCA ganham mais notoriedade.

Vale destacar que o CDI é uma taxa utilizada pelos bancos e que segue de perto as oscilações da taxa Selic

Portanto, se a Selic sobe, o CDI sobe também. O inverso também acontece entre a Selic e o CDI. Em resumo, CDB e CDI diferença não há.

Conclusão

Quando se procura por investimentos no Brasil, os primeiros a serem analisados são os CDBs.

Os CDBs, por serem oferecidos em larga escala pelos bancos, acabam se tornando uma das portas de entrada ao mercado.

Os grandes bancos costumam oferecer CDBs atrelados ao CDI e com rentabilidade compatível à média do mercado, que é 100% do CDI.

Aqueles que buscam rendimentos diferenciados ou melhores terão que procurar em corretoras de valores mobiliários ou em bancos menores.

Ao buscar CDB com instituições menores, os rendimentos podem passar facilmente de 200% do CDI. Porém, o investimento terá que ser de longo prazo, na maioria das vezes.

Dependendo do banco, a aplicação pode ser de médio a curto prazo, mas os riscos são maiores, devido a segurança do banco.

Com o intuito de fomentar um mercado mais seguro, existe o FGC. O FGC garante até 250 mil reais por instituição e CPF.

Assim, o investidor pode ficar um pouco mais tranquilo com relação ao investimento, mesmo que a instituição seja pequena ou de pouca expressão no mercado.

Vale destacar que é bom conferir antes de investir, se a instituição faz parte do FGC. Por fim, o CDB tem uma relação muito próxima ao CDI, sendo que boa parte dos CDBs oferecidos tem como rendimento o CDI.

Você tem dúvidas sobre o que é investimento em CDB? Se ainda há dúvidas, deixe uma pergunta ao final. Assim que possível, já lhe respondemos. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.