Quais São as Taxas do CDB?

Produtos de renda fixa possuem rendimentos pré-estabelecidos. Ou seja, um CDB pode ter diferentes tipos de rendimentos. As taxas do CDB podem ser desde o próprio CDI até juro prefixado mais inflação, por exemplo.

Normalmente todos os títulos de renda fixa, como o CDB vão, entregar bons rendimentos aos investidores, mas ainda sim, existem momentos e formas mais interessantes de investir. Quer saber mais sobre as taxas de CDB?

quais são as taxas bancárias de renda fixa dos cdbs?

Acompanhe o nosso artigo!

Quais são as taxas para investimentos em CDB?

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) pode conter diferentes taxas atreladas, mas normalmente existem três taxas, elas são:

  • CDI (taxa de certificado de depósito interbancário)
  • IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) mais juro prefixado
  • Juro prefixado

O CDI é a taxa mais utilizada pelos bancos para remunerar o CDB. Então, quando o investidor vai até um banco, a procura de um CDB para investir, normalmente o título atrelado ao CDI será a solução.

Vale destacar que para investimentos que mantenham liquidez diária, a única opção será o CDB atrelado ao CDI.

Em momentos onde a taxa de juro está em alta, por exemplo, o CDB atrelado ao CDI é uma das opções mais atraentes, uma vez que o CDI acompanha de perto as oscilações da Selic. Se a Selic sobe, o CDI também aumenta, o contrário também acontece.

O CDB com rendimento atrelado ao IPCA mais juros prefixados é um misto. Em um dos rendimentos há uma variável, que é a inflação e no outro temos a figura do juro prefixado.

O juro prefixado é conhecido no momento do investimento. O título pode oferecer 3% mais IPCA, ou 5% mais IPCA, isso tudo pode variar conforme a instituição que está oferecendo o papel e o vencimento, por exemplo.

Em momentos de alta da inflação, o CDB que paga juro mais inflação pode ser uma boa. Vale destacar que esse tipo de CDB não é oferecido por todos os bancos e costuma contar com uma data de vencimento. Somente após esse vencimento, o valor do CDB estará liberado para o investidor.

Por último, nós temos o CDB com juro prefixado. Nessa modalidade o título estará vinculado a uma taxa prefixada onde não há alterações.

O rendimento será aquele do início ao fim. Esse tipo de CDB é bom em momentos onde a taxa de juro está em queda.

O juro baixo, não deixa atraente o CDI e muito menos a Selic. Normalmente, juro em baixa é um sintoma de inflação em baixa. Portanto, o CDB prefixado aparece como uma boa opção.

O que é um CDB?

O CDB é um título emitido pelos bancos em geral. Desde os maiores bancos até os menos, todos eles possuem o CDB para oferecer aos seus clientes e demais investidores.

Os bancos que fazem parte do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) têm garantia para os seus CDBs e demais títulos, como as LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio).

A garantia cobre até 250 mil reais por CPF e instituição. Considerando as alternativas de rendimentos e a segurança do CDB, o título desponta como uma dos, mas atraentes da renda fixa nacional.

Quais bancos oferecem as melhores taxas de CDB?

É possível segregar os bancos brasileiros em dois tipos, aqueles que são os grandes bancos, como são o caso do Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e demais, e os bancos menores ou pequenos.

Os bancos menores são aqueles que possuem poucas agências ou trabalham praticamente todo online.

Esses bancos possuem parcela pequena das contas correntes e, portanto, não têm faturamento similar aos grandes bancos.

Observando isso, os bancos menores precisam oferecer taxas de CDB melhores aos investidores na tentativa de conseguir se capitalizar e oferecer mais dinheiro para os interessados.

Portanto, taxas CDB bancos menores são mais atraentes. Por exemplo, o banco BMG vem oferecendo até 120% do CDI para CDB com liquidez diária.

O banco Itaú, por sua vez, oferece 100% do CDI. Outros grandes bancos, como é o caso do Bradesco, também oferecem até 100%. O banco Sofisa, outro banco menor, oferece CDB com liquidez diária pagando 115% do CDI.

Como funciona um CDB?

O CDB é uma forma de financiamento do banco.  O banco, como qualquer outra instituição financeira, precisa de dinheiro para trabalhar.

Uma das principais atividades do banco é emprestar e financiar ativos para outras pessoas e empresas.

Mas para isso, é necessário contar com recursos. No momento em que o banco vende um CDB para um cliente, os recursos aportados no CDB podem ser utilizados pela instituição financeira para fazer empréstimos e financiamentos.

Bancos grandes, que possuem muito dinheiro, normalmente oferecem CDB pagando pouco, uma vez que não há tanta necessidade de mais capital.

Já os bancos menores, veem no CDB uma alternativa para se financiar. Assim, os bancos pequenos têm CDB melhores taxas para tentar tirar os recursos dos maiores bancos.

Para os investidores, o CDB é uma alternativa de investimento mais conservadora. Aqueles CDBs com liquidez diária são a opção mais conservadora, enquanto do CDB com vencimento mais longo, chegando a ultrapassar os dois anos (até mais) são opções mais arrojadas.

Conclusão

O CDB é um título de renda fixa muito interessante. Para qualquer momento, o CDB é uma boa alternativa de investimento, mas é preciso avaliar bem as taxas que são oferecidas junto ao título.

Em momentos onde a taxa de juro está em alta, o CDB atrelado ao CDI é uma ótima opção. Já quando a inflação parece não perder força, o bom é considerar o CDB atrelado ao IPCA mais juros prefixados.

Quando a taxa de juro está em queda, a melhor coisa a se fazer, é travar o bom rendimento por meio de um CDB com taxa prefixada.

Para cada momento existe um bom CDB que se encaixa na carteira. Você compreendeu como funcionam as taxas CDB? Se não, deixe uma pergunta abaixo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *