Quais São os Mais Populares Títulos de Renda Fixa?

A renda fixa é um dos tipos de investimentos mais populares entre as pessoas, principalmente entre os investidores mais conservadores. Você sabe quais são os mais populares títulos de renda fixa?

Se você ainda não conhece todos os produtos mais populares de renda fixa, acompanhe o nosso artigo e conheça mais sobre esses investimentos que são considerados os mais seguros e mais previsíveis do mercado.

Quais São os Mais Populares Títulos de Renda Fixa?

Quais os tipos de títulos de renda fixa para investir?

Há vários investimentos que são considerados de renda fixa. Segue quais são os mais populares títulos de renda fixa:

  • Poupança;
  • Letras do Tesouro Direto;
  • CDB (Certificado de depósito bancário);
  •  LCI (Letra de crédito imobiliário);
  •  LCA (Letra de crédito do agronegócio);
  • CRI (Certificado de recebíveis imobiliários);
  • CRA (Certificado de recebíveis do agronegócio);
  •  Fundos referenciados DI, de renda fixa ou crédito privado;
  • Debentures.

Poupança

A poupança é a modalidade de investimento mais tradicional do Brasil. Provavelmente todos os brasileiros conhecem a poupança. Inclusive, em algum momento, boa parte dos brasileiros já se beneficiou da poupança.

A poupança é protegida pelo FGC (Fundo garantidor de crédito), além de contar com rentabilidade fixa de 6,17% ao ano mais TR (Taxa Referencial).

Quando a taxa Selic está abaixo dos 8,5%, a rentabilidade da poupança passa para 70% da Selic mais TR.

Vale destacar que a poupança é isenta de IR e a TR é uma taxa pouco utilizada hoje em dia. É comum ver a TR valendo zero ou próximo de zero.

A acessibilidade da poupança é elevada, mas a rentabilidade não é uma das melhores, mesmo com a isenção de IR.

Letras do Tesouro Direto

As letras do Tesouro são o investimento em renda fixa mais seguro do Brasil. Comparado aos outros investimentos, a segurança oferecida pelo Tesouro Nacional é superior até mesmo ao FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Portanto, o investimento em tais letras não oferece tantos riscos com relação ao crédito, mas, existem os riscos com relação ao mercado.

Todas as letras do Tesouro possuem algum rendimento prefixado e isso pode gerar volatilidade no preço da letra até o seu vencimento.

Em outras palavras, uma letra do Tesouro IPCA que está rendendo IPCA + 5% no dia da aquisição, pode terminar a semana com perdas, ou com lucros acima do próprio rendimento oferecido.

Essa volatilidade ocorre porque as letras flutuam conforme o mercado, desse modo, a possibilidade de ganhar muito dinheiro no curto prazo, ou perder muito. De qualquer forma, ao manter a letra até o vencimento, os ganhos serão equivalentes ao rendimento contratado na data da aquisição.

Destacando que há três opções de letras, o Tesouro Selic (indexado a Selic mais juros), Tesouro IPCA (indexado a inflação mais juros) e Tesouro Prefixado (indexado a uma taxa de juro prefixada).

Olhando as letras do Tesouro IPCA e Prefixadas, ainda há a modalidade de pagamento de juros semestrais. O investimento em letras do Tesouro IPCA pode ser feito a partir de R$ 30,00.

CDB

O CDB é um dos principais ativos de renda fixa oferecidos por bancos. Todo banco, desde o Itaú até os menores bancos digitais, possuem o CDB como instrumento de captação de recursos.

Dentre todas as opções de investimentos, o CDB é uma das mais simples, práticas e acessíveis do mercado.

Normalmente há três tipos de rentabilidades indexadas ao CDB, o papel pode render uma porcentagem, da taxa CDI (Certificado de Depósito Interbancário que segue de perto as oscilações da Selic), IPCA mais uma taxa de juro prefixado ou de uma taxa de juro prefixada.

Os três tipos de rendimentos, se parecem muito com as opções do Tesouro Direto. A segurança do CDB fica por conta da instituição financeira e do FGC (caso a instituição emissora faça parte do FGC).

LCI e LCA

Tanto a LCI quanto a LCA são muito similares ao CDB, porém, diferente do CDB, tais letras não possuem liquidez diária, ou seja, normalmente só haverá opções de LCI e LCA com vencimento de no mínimo 3 meses.

Outro ponto, tais letras possuem isenção de IR, sendo assim, a remuneração bruta, será aquela que o investidor vai receber, sem haver descontos.

CRI e CRA

Os CRI e CRA possuem algumas semelhanças com os LCI e LCA, principalmente no que diz respeito à isenção de IR.

Porém, os CRI e CRA não possuem garantia do FGC e sua segurança está, normalmente, vinculada a uma garantia real fornecida pela instituição que está emitindo tais certificados.

Outro ponto interessante dos CRI e CRA são os juros pagos periodicamente. Há CRI e CRA que fazem pagamentos mensais dos juros.

Infelizmente, o investimento em CRI e CRA pode ser um pouco difícil para aqueles que não são investidores qualificados. A acessibilidade de tais certificados é um pouco mais restrita e os riscos são maiores em comparação às letras do Tesouro, CDB, LCI e LCA.

Fundos DI, referenciados e de crédito privado.

Os fundos de investimento são outra forma de investir na renda fixa. Ao alocar recursos nesses tipos de fundos, o investidor contará com a gestão feita pelo fundo, sem que haja grandes preocupações.

Na hora de escolher o fundo, fique atento à estratégia, os custos, valores de entrada e de aportes, além da liquidez.

Observar a rentabilidade anterior e o valor total do patrimônio do fundo também é válido. Fundos com elevado patrimônio, normalmente se mostram mais seguros do que fundos menores.

Debêntures

Por último nós temos as debêntures que dentre todas as opções de investimento em renda fixa, são uma das opções mais arriscadas. Por mais que a debênture seja negociada em bolsa, debêntures são títulos de renda fixa.

As debêntures são negociadas sem bolsa e possuem seus rendimentos atrelados a diferentes índices, como a inflação, juro e prefixados. Existem até opções de debêntures que possuem o rendimento indexado ao dólar.

A garantia com relação aos valores das debêntures pode ser feita de várias formas, sendo a garantia real aquela mais interessante, porém, é comum ver ventures com a garantia quirografária, uma das menos interessantes.

Investir em debêntures pode exigir aporte financeiro maior, sendo de pouca liquidez. Portanto, se o investidor se interessar, há possibilidade de investir em debêntures por meio de fundos de investimento.

Há debêntures isentas de IR (que são as denominadas, incentivadas). Há também fundos de investimento que possuem somente debêntures incentivadas na carteira, também gozam do privilégio de serem isentos de IR.

Quais são as regras dos títulos de renda fixa?

Todos esses produtos têm em comum a previsibilidade com relação ao rendimento contratado. Ao investir em uma debênture, o investidor saberá quanto vai receber até o vencimento do papel.

A mesma coisa acontece para os produtos dos bancos, como os CDBs, LCI, LCA, ou os CRI, CRA, fundos e letras do Tesouro.

Além da previsibilidade no rendimento, outras características, como a segurança e estabilidade, fazem dos produtos de renda fixa similares uns aos outros. Em resumo, esses são os tipos de títulos de renda fixa.

Qual o investimento mais popular no Brasil?

Definitivamente a poupança. Praticamente todo o brasileiro já teve acesso à poupança ou utiliza a poupança.

Mas, com o passar do tempo, a poupança vem perdendo seu protagonismo no Brasil e outras opções de investimento vêm ganhando força, como é o caso das ações e demais ativos negociados em bolsa.

É seguro investir em título de renda fixa?

Sim. Ao considerar o investimento em letras do Tesouro, CDB, LCI, LCA e fundos referenciados DI, todas as opções possuem boa qualidade no quesito segurança.

Já as opções CRI, CRA e debentures possuem grau de risco maior, uma vez que tais produtos não possuem garantias relacionadas ao Tesouro Nacional e tão pouco ao FGC.

O fundo referenciado DI, também não possui garantia, porém, os produtos que o fundo investe têm, e por isso, o fundo acaba sendo uma alternativa boa e com segurança relativamente boa.

Conclusão

Investir na renda fixa é uma ótima alternativa, principalmente para os investidores mais conservadores, que não querem se arriscar na renda variável.

Investidores que já desfrutam da aposentadoria e querem reduzir os riscos, também costumam alocar parte maior do patrimônio na renda fixa, a fim de mitigar eventuais volatilidades na carteira.

Quando surge a pergunta “quais são os títulos de renda fixa?” A resposta é fácil. Dentre as opções, há pelo menos sete tipos de investimentos de renda fixa que podem ser considerados, eles são:

  • Poupança;
  •  Letras do Tesouro Direto;
  • CDB (Certificado de depósito bancário);
  •  LCI (Letra de crédito imobiliário);
  • LCA (Letra de crédito do agronegócio);
  • CRI (Certificado de recebíveis imobiliários);
  • CRA (Certificado de recebíveis do agronegócio);
  •  Fundos referenciados DI, de renda fixa ou crédito privado;
  • Debêntures.

Agora, quando a pergunta é: “quais são as regras dos mais populares títulos de renda fixa?” A resposta é simples: previsibilidade no rendimento, estabilidade e segurança.

Você compreendeu quais são os mais populares títulos de renda fixa? Ainda tem dúvidas? Então deixe uma pergunta ao final que já vamos lhe responder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.