LTN: O Que São e Como Investir em Letras do Tesouro Nacional

As letras do tesouro nacional (LTN) são títulos prefixados do tesouro direto. O governo utiliza do capital dos investidores para pagar suas dívidas e, em troca, dá um “prêmio” para quem comprou seus títulos. 

No caso das LTNs, a rentabilidade é definida por uma taxa fixa. Ou seja, o tesouro nacional te pagará de forma garantida, no vencimento do título, uma taxa pré-determinada (ou prefixadas).

Se você quer saber mais sobre as letras do tesouro nacional – títulos prefixados – leia este texto até o final!

Mas afinal, o que são as LTN? 

Entre os títulos do tesouro nacional, as letras do tesouro direto (LTN) são os produtos de investimento com taxas prefixadas.  Desde 2015 as LTN são simplesmente chamadas de títulos prefixados.

E o que significa isso? Na prática, quando um investidor compra um título prefixado, ele contrata de forma definitiva a rentabilidade do título adquirido. Ou seja, se alguém investir em letras do tesouro direto com taxa de 10%, isso significa que após o vencimento do título, o lucro da operação será de 10% ao ano. 

Em outras palavras, o tesouro prefixado não possui nenhum indexador em relação ao título. Isso significa que o título não é atrelado ao CDI e nem ao IPCA. Sua remuneração é definida por uma taxa contratada, sendo o lucro da operação até o vencimento. 

No geral, os investidores se sentem atraídos por investimento nas letras do tesouro direto justamente por sua rentabilidade que, em muitas situações, está acima dos preços de outros produtos de renda fixa

Os títulos prefixados são ideais quando o investidor acredita que a taxa prefixada será maior que a taxa selic e a inflação do período – balizado pelo IPCA. 

Também, dependendo do perfil do investidor, os títulos LTN são usados para “especular” rentabilidades acima do valor contratado. Em relação ao tesouro direto, existe um fenômeno chamado de “marcação a mercado”. 

Desta forma, a variação da taxa dos juros longos afeta diariamente a rentabilidade desses títulos. Ou seja, dependendo de algumas condições de mercado, seu título LTN pode render uma rentabilidade acima daquela contratada. Mas vamos entender melhor como isso funciona no decorrer deste texto. 

Qual rentabilidade do Tesouro Direto? 

Investir no tesouro direto pode ser extremamente rentável. As principais vantagens deste tipo de investimento são:

  • Alta liquidez dos títulos
  • Várias opções de investimentos para diferentes vencimentos
  • Altíssimo grau de segurança

Como o tesouro direto possui diferentes títulos com variadas taxas e indexadores, é difícil dizer com clareza qual é a rentabilidade do tesouro direto. Na verdade, a rentabilidade do tesouro depende de qual título você contratou. 

No tesouro direto, por exemplo, é possível ter rentabilidade atrelada ao CDI, à inflação e as taxas das letras do tesouro nacional (LTN) que, neste caso, são prefixadas. 

Independente do título escolhido, o que vai determinar sua rentabilidade é o quanto o investidor está disposto a carregar o título contratado até seu vencimento. 

Embora os títulos do tesouro tenham muita liquidez, ou seja, podem ser resgatados a qualquer momento, o lucro contratado das operações são garantidos apenas no vencimento do título. Antes disso, os títulos estão sujeitos à marcação a mercado, de forma que o investidor corre o “risco” de resgatar o valor com prejuízo. 

Por outro lado, a rentabilidade até o vencimento é garantida pelo tesouro nacional. Desta forma, se você comprar um título prefixado com taxa de 10%, após o período de vigência do título você terá 10% de lucro ao ano. Mas se antes do prazo de vencimento você sacar o investimento, existe a possibilidade de sua rentabilidade ser negativa.

Um elemento que não pode ser desprezado é que os títulos do tesouro têm incidência de imposto de renda e outras taxas.

O imposto é cobrado de forma regressiva. Por isso, quanto maior for o tempo do investimento, menos imposto será pago. Confira: 

  •     22,5% até 180 dias;
  •     20%; de 181 a 360 dias; 
  •     17,5% de 361 a 720 dias; 
  •     15% acima de 720 dias.

Existe também o pagamento de IOF quando o título é resgatado antes de 30 dias. 

Além dos tributos, a instituição custodiante poderá cobrar uma taxa de administração mensal. Da mesma forma, a Bolsa de Valores (B3) cobra uma pequena taxa de custódia.

Qual a diferença entre LFT LTN e NTN? 

Existem 3 diferentes tipos de títulos do tesouro direto. 

LFT 

O título chamado tesouro selic (ou LFT) é um título pós‐fixado. Neste caso, sua rentabilidade está sujeita à variação da taxa SELIC. 

Por isso, o lucro do tesouro selic é dado entre a data de liquidação da compra e a data de vencimento do título, acrescida, se houver, de ágio ou deságio no momento da compra.  

O tesouro selic possui fluxo de pagamento simples, o investidor faz a compra e recebe o rendimento apenas uma vez, na data de vencimento do título, junto com o valor do principal. 

Em períodos de alta na taxa básica de juros, este título consegue ser mais rentável, sendo uma excelente opção para reserva de emergência e reserva de oportunidade.  

LTN 

Entre as letras do tesouro direto, os títulos prefixados, conforme já citamos anteriormente,  a rentabilidade é definida por uma taxa fixa contratada ao comprar o título. 

Em períodos em que as taxas de juros e a inflação estão em queda, as letras do tesouro nacional – títulos prefixados – são muito rentáveis.

NTN 

Os títulos chamados NTN-B são conhecidos como títulos de inflação. Sua rentabilidade está atrelada ao IPCA. Ou seja, o lucro da operação é composto pelo valor da inflação no período de vigência do título acrescido de uma taxa. 

De certa forma, as NTN-B são ideias em contextos inflacionários, pois o valor do investimento está protegido da inflação. 

Assim como as letras do tesouro direto, os títulos NTN-B sofrem a marcação a mercado. Dependendo da taxa de juros longos, o preço do título pode cair, afetando a rentabilidade quando o investidor faz o resgate antes do vencimento do título. 

Quais são os tipos de Tesouro Direto? 

Os títulos do tesouro direto são atrelados a três indexadores, neste caso:

  • Taxa Selic
  • Inflação (IPCA+)
  • Taxa prefixada

Todos os títulos citados possuem boa rentabilidade, principalmente quando são levados até o vencimento. A vantagem das LFTs – ou tesouro selic – em relação aos outros investimentos, é que seu uso é ideal quem precisa fazer o resgate do investimento antes do vencimento.

Como esse título não sofre a marcação a mercado, o investidor pode fazer o resgate antes do prazo, sem a rentabilidade sofrer em momentos de queda nas taxas de juros. 

Os títulos atrelados à inflação são muito utilizados em contextos inflacionários, com lucro garantido acima da inflação quando resgatado até o prazo. 

Já as letras do tesouro nacional, ou os títulos prefixados, as taxas são “travadas” no momento da contratação do título. Para quem pretende resgatar até o final, a rentabilidade é garantida. 

Muitos investidores utilizam dos títulos NTN-B e letras do tesouro nacional para “especular” por meio da marcação a mercado. É possível alcançar rentabilidades maiores quando o movimento do mercado vai ao seu favor, com valorização dos títulos e queda na taxa de juros longos. 

Como investir em letras do tesouro nacional 

Investir em letras do tesouro nacional (LTN) ou títulos prefixados é fácil. O investidor precisa ter uma conta em alguma corretora – ou em um banco que ofereça este investimento. 

Antes de realizar o investimento, é interessante o investidor acessar o site do tesouro nacional e observar as taxas dos títulos em questão. Essas taxas mudam diariamente, por isso é importante estar atento antes de investir. 

Depois, se você possuir saldo, é só comprar o título escolhido e acompanhar sua rentabilidade. É possível, inclusive, fazer aportes mensais nesses títulos. 

Conclusão 

O que são e como investir nas letras do tesouro racional? Conforme vimos, os títulos prefixados do tesouro, o investidor sabe exatamente qual a rentabilidade que receberá no vencimento.

Esses títulos são interessantes em momento de baixa dos juros, além de serem utilizados em momentos em que a taxa contratada é menor que a inflação.

Porém, o investidor precisa ficar atento à marcação a mercado. Caso precise sacar o dinheiro antes do vencimento, a rentabilidade pode ser negativa. Portanto, todo cuidado é pouco, sempre!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *