Como Calcular o Reajuste do Aluguel com IGPM

O IGPM é um dos principais índices inflacionários do Brasil. Sendo relevante para o cálculo do reajuste do aluguel. Você sabe como calcular IGPM aluguel? Se não, acompanhe o nosso artigo e conheça mais sobre o IGPM.

Mas não é só sobre o aluguel que o IGPM tem suas influências. A diversos investimentos que contam com a correção pelo índice inflacionário, dentre eles o CRI (Certificado de Recebível Imobiliário).

Como Calcular o Reajuste do Aluguel com IGPM

Sem dúvidas, dentre a grande gama de indicadores econômicos brasileiros, o IGPM é um dos mais relevantes.

Como reajustar o aluguel do imóvel utilizando o IGPM?

Para calcular o reajuste de aluguel baseado no IGPM, basta à pessoa somar 1,00 com o IGPM do período e multiplicar pelo valor do aluguel vigente.

Ou seja: se o IGPM do período é de 20%, a pessoa terá que somar, 1 com os 20% e multiplicar pelo valor do aluguel.

Considerando que o valor do aluguel do momento seja de R$ 1.000,00 ao mês, o cálculo IGPM aluguel fica assim:

  • 1+0,20 = 1,20
  •  x 1,20
  • 1.200,00

Pronto! A pessoa já tem o valor corrigido pelo IGPM e já pode aplicar o aumento em seu aluguel. Inclusive, a pessoa que está alugando, ou a inquilina, também pode fazer a conta para determinar qual será o aumento, caso ocorra.

Vale destacar que o reajuste pelo IGPM também pode ser negociado. Em momentos onde o IGPM registra valorização elevada, o inquilino pode acabar tendo problemas para conseguir cobrir o aumento.

Observando isso, a negociação do aumento pode ocorrer e um desconto pode ser feito, por exemplo.

Vamos supor que o proprietário do imóvel vem cobrando do inquilino um aluguel de R$ 2.000,00.

No final do período, existe o reajuste do aluguel que é condicionado pela oscilação do IGPM. Nesse sentido, o IGPM ficou em 5% no ano. Isso significa que o reajuste se dará assim:

  •  1+0,05 = 1,05.
  • Ao pegar o valor de R$ 2.000,00, o ajuste ficará:
  •  2000 x 1,05 = 2.100,00.

Nesse exemplo o aumento não foi tão relevante, uma vez que o IGPM não se valorizou tanto. Caso o IGPM tivesse ficado negativo, por exemplo, o reajuste não ocorreria, ou seria negociado entre as partes.

Normalmente o proprietário do imóvel não fica sem um reajuste, mas tudo isso deve ser muito bem discriminado no contrato de locação e ambas as partes precisam estar de acordo com as cláusulas e negociação em si.

Por mais que o IGPM seja a principal forma de reajuste, outras taxas podem ser utilizadas na correção do aluguel, como é o caso do IPCA, por exemplo.

O que é o IGPM?

O IGPM, ou Índice Geral de Preços do Mercado, é um índice calculado e divulgado pela Fundação Getúlio Vargas.

 Um dos principais índices que mede a inflação do país, o IGPM é amplamente utilizado em contratos de aluguel, servido como base para o cálculo de correções no aluguel.

Além do aluguel, o IGPM também é utilizado como correção de rendimentos em alguns ativos, como é o caso do CRI.

Sobre a origem do IGPM, o índice foi lançado pela Fundação Getúlio Vargas na década de 40, e não se chamava ainda IGPM, mas sim IGP.

Dentro do IGP, o índice considerava outros três índices para o seu cálculo. Esses outros três índices são:

  •  Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA),
  • Índice de Preços ao Consumidor (IPC),
  • Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

Sendo que as porcentagens consideradas para dentro do IGP são as seguintes:

  • 60% para o IPA,
  • 30% para o IPC,
  • 10% para o INCC.

Anos depois, o IGP recebeu a adição do M. O “M” veio de mercado. Portanto, o IGPM foi inaugurado em 1989, por demanda Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF).

Da mesma forma que o IGP recebeu o M de mercado, os outros indicadores que fazem parte do cálculo do IGPM também receberam o M.

Portanto, desde 1989, o IGPM possui tal configuração e vem servindo como principal parâmetro para as correções de aluguéis.

Vale destacar que normalmente nos contratos, o IGPM é utilizado como parâmetro para a correção, havendo a possibilidade de ser inserida outra taxa, como o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), ou outra.

Como é calculado o valor do aluguel?

Para calcular o valor do aluguel o interessado precisa considerar uma série de dados. Desde o estado do imóvel, até a localização.

O metro cúbico da região também serve como orientação para determinar o valor. Comparar o valor de unidades similares próximas a região é outro fato que colabora para a definição de um valor.

Questões como mobília e o que está ao redor do imóvel também são fatores que podem ajudar. Por exemplo, um imóvel localizado perto do metrô com supermercados próximos, colégio, região que não pega enchente, asfaltada e com boa iluminação, terá um valor muito superior a uma área onde o acesso é difícil e não é asfaltada.

Imóveis localizados mais ao centro da cidade também terão valor mais elevados do que empreendimentos localizados nas periferias.

No fim, vários itens podem influenciar no valor do aluguel. Para conseguir determinar um valor justo, a pessoa precisa contar com ajuda de um corretor e quem sabe, até de dois, para conseguir comprar avaliações e identificar aquele valor que mais interessa.

Já o reajuste aluguel IGPM, deve considerar a oscilação do IGPM mais 1,00. Ao multiplicar essa variação do IGPM mais 1 junto ao valor do aluguel, o interessado terá o valor do reajuste.

Qual o melhor índice de correção Igp-m ou IPCA

Os dois índices inflacionários têm suas vantagens e desvantagens, mas, ao avaliar o valor que cada um vem proporcionando ao longo dos anos, fica claro que o IGPM é aquele mais interessante.

Inclusive, ao olhar o mercado financeiro, há poucas opções de investimentos que oferecem o IGPM como rendimento.

Na verdade, os investimentos praticamente se resumem ao CRI. Houve um breve período que o Tesouro Direto chegou a oferecer letras atreladas ao IGPM, porém, essas letras já estão vencendo e só podem ser negociados no mercado secundário.

O Tesouro Direto não tem mais intenção de lançar mais letras atreladas ao IGPM. Bancos menores já chegaram a lançar produtos, como LCI (Letras de Crédito Imobiliários) atreladas ao IGPM, mas logo elas foram encerradas e nunca mais foram lançadas.

O IGPM é uma taxa mais volátil e pode render muito em alguns momentos. Atualmente o IGPM vem acumulando um aumento acima dos 21%, já o IPCA vem registrando valorização de 10,73% nos últimos 12 meses.

Comparando o valor de reajuste que cada um pode proporcionar, fica evidente que o IGPM é mais atraente.

Porém, já houve momentos onde o IGPM ficou negativo, fato que poderia contribuir para uma situação de não reajuste, ou correção muito pequena. Já o IPCA, em todos esses anos, nunca ficou negativo, sempre houve, mesmo que por mínimo, alguma correção.

Vale destacar que no contrato de locação, o proprietário do imóvel pode adicionar alguma taxa mais o indicador de inflação, como IPCA +2%, ou IGPM +2%. Lógico que isso deverá ser acordado entre as partes.

Observando a volatilidade maior por parte do IGPM, o IPCA pode acabar sendo mais interessante. Então, ao analisar qual índice escolher, a pessoa deverá considerar a taxa que mais remunera ou aquela que é menos volátil.

Conclusão

O IGPM é um indicador bem antigo e já passou por uma transformação no passado. Atualmente, um dos principais indicadores para a correção dos contratos de aluguel, o IGPM tem sua relevância no contexto nacional.

Como não há muitos investimentos que proporcionem rendimentos pelo IGPM, manter a correção do aluguel indexada ao IGPM parece algo interessante.

Dentre os ativos negociados no mercado, aquele que possui alternativas atreladas ao IGPM é o CRI.

Antigamente, até letras do Tesouro Direto tinham tal correção, mas atualmente não há mais. O cálculo para fazer o reajuste de aluguel IGPM é bem fácil e prático.

A pessoa só precisa adicionar 1,00 junto à porcentagem referente ao IGPM do período e multiplicar no valor do aluguel vigente. Pronto, o cálculo está feito e já pode ser repassado ao inquilino.

Com relação à comparação entre o IGPM e o IPCA, o IGPM proporciona ganhos maiores, no médio e longo prazo, já o IPCA é bem mais estável, sendo menos volátil.

Você compreendeu como calcular IGPM aluguel? Ainda tem dúvidas? Então deixe uma pergunta ao final, assim que possível já vamos lhe responder. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.