CDB: Como Funciona Este Título de Renda Fixa

O CDB é um dos principais títulos de renda fixa oferecidos pelos bancos e demais instituições financeiras. Você sabe como funciona renda fixa CDB?

Se você não sabe o que é CDB renda fixa ou tem dúvidas sobre o investimento, acompanhe o nosso artigo e conheça melhor o CDB.

CDB: Como Funciona Este Título de Renda Fixa

Como funcionam os certificados de depósitos bancários?

O CDB é um instrumento utilizado pelo banco para financiar suas operações. Ou seja, ao invés do banco emprestar para os seus clientes, são os clientes que emprestam para o banco e assim, o cliente recebe juros referente à remuneração do valor “emprestado”.

Do juro oferecido ao cliente por meio do CDB ao juro cobrado das linhas de crédito que o banco oferece aos demais clientes, existe o spread. Sendo que o spread é uma das principais fontes de renda dos bancos.

É claro que ainda existem outras formas dos bancos conseguirem angariar dinheiro junto aos clientes. Mas, sem dúvidas, o CDB é um dos produtos mais utilizados e mais procurados.

O que é o CDB?

Um dos produtos financeiros mais negociados do Brasil é o CDB. O certificado é emitido por bancos e demais instituições financeiras, sendo um dos principais instrumentos de financiamento.

Com os recursos aplicados pelos clientes nos CDBs, os bancos conseguem fomentar suas linhas de crédito e lucrar por meio do spread (diferença entre o juro oferecido no CDB para o juro cobrado em linhas de crédito).

Para gerar mais segurança aos investidores e ao mercado como um todo, os CDB, como as LCI (letras de crédito imobiliário) e as LCA (Letras de crédito do agronegócio) têm a proteção do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Tal proteção cobre até R$ 250 mil por CPF e instituição. Assim, um investidor que possui R$ 250 mil em três bancos diferentes, se um dos bancos falir, o FGC vai cobrir o montante de R$ 250 mil sem grandes problemas.

Vale destacar que essa proteção tem um limite de 1 milhão em quatro anos. Ou seja, se o investidor tem 250 mil reais em cinco diferentes instituições, caso as cinco venham a falar no mesmo período, o investidor teria um milhão assegurado.

Mesmo com tais regras, o FGC ainda é um fundo muito interessante e oferece segurança considerável quando o assunto é investir em instituições menores.

Sem o FGC, bancos menores provavelmente teriam mais dificuldades em conseguir dinheiro. Outro ponto importante é conferir se o CDB e a instituição financeira fazem parte do FGC, antes de investir.

Quanto rende um CDB por mês?

Um CDB pode ter diferentes rentabilidades. A certificados atrelados ao CDI (taxa do certificado de depósito interbancário), IPCA mais juros prefixados e prefixados.

Os CDBs mais comuns são aqueles indexados ao CDI. Normalmente todos os bancos oferecem diversas opções de CDB atrelados ao CDI e porcentagens do CDI.

Por exemplo; em um grande banco, os CDBs oferecidos possuem taxas de 100% do CDI. Isso significa que aquele CDB vai render 100% da taxa referente ao CDI.

Já os bancos menores costumam oferecer taxas maiores na tentativa de atrair esses clientes. Portanto, não é difícil ver CDB de banco pequeno rendendo até 110% do CDI.

É importante informar que o CDI é uma taxa negociada pelos bancos e a mesma segue de perto as oscilações da Selic. Portanto, quando a Selic sobe, o CDI sobe também. O contrário também ocorre.

Assim o investidor tem a possibilidade de ganhar um pouco mais investindo em um banco menor. O ponto negativo disso fica por conta da qualidade da instituição. Bancos maiores têm estruturas mais complexas e possuem mais capital.

Ou seja, é mais difícil um grande banco quebrar do que uma instituição pequena. Já os bancos menores têm mais riscos. Mesmo com o FGC, o risco existe e o investidor precisa ficar atento.

Outro ponto interessante do CDB atrelado ao CDI está vinculado ao seu vencimento. Esses títulos atrelados ao CDI normalmente possuem vencimento diário, ou seja, caso o investidor esteja precisando dos recursos, ele poderá resgatar a qualquer momento.

Mas, é importante salientar que existem também variações do CDB vinculado ao CDI que tem vencimento. Aí, o investidor só consegue resgatar o valor quando o papel vence.

Portanto, um CDB com vencimento em 360 dias, só estará disponível para resgate, após os 360 dias.

Quando o CDB tem esse critério de liquidez no vencimento, quanto maior for o vencimento, maior será a rentabilidade.

O investidor pode ficar atento. Os bancos, na tentativa de forçar a permanência do capital junto à instituição, oferecem aos seus clientes e demais interessados, opções de CDB com vencimento longo.

Para atrair de fato o dinheiro, nesses CDBs mais longos, o rendimento é muito maior, em comparação ao CDB que tem liquidez diária, por exemplo.

Atualmente, um CDB atrelado ao CDI está rendendo algo por volta dos 7,5% ao ano.

Atrelado ao IPCA

O CDB com rendimento atrelado ao IPCA segue os mesmos preceitos do CDB atrelado ao CDI, porém, o investidor não verá um CDB atrelado ao IPCA com liquidez diária.

Diferente do que ocorre com os CDBs com rendimento atrelado ao CDI, aqueles que estão indexados ao IPCA não têm liquidez diária.

Além de atrelado ao IPCA, esses CDBs também possuem uma parte do rendimento atrelado a um juro prefixado. Então o rendimento dos CDBs é IPCA mais juros prefixados.

Em média, o investidor vai encontrar CDBs atrelados ao IPCA mais juros prefixados rendendo IPCA +3% ao ano.  Existem CDBs rendendo mais ou menos, mas na média, o rendimento anda nessa faixa.

Prefixados

Os CDBs com rendimentos prefixados, como o próprio nome já diz, tem o rendimento atrelado a uma taxa prefixada.

Esse tipo de CDB é muito interessante em momentos onde a taxa de juro está em queda. Assim, o investidor consegue travar um bom rendimento enquanto a taxa de juro está em queda e investimentos atrelados ao CDI vão perdendo a rentabilidade.

Atualmente, um CDB prefixado pode oferecer rendimentos que ultrapassam os 12% ao ano. Novamente; quanto mais longo for o vencimento do CDB, maior a rentabilidade. Porém, os rendimentos maiores normalmente estão em CDBs com vencimento mais longos.

Como declarar aplicação de renda fixa?

Como o CDB é um título de renda fixa e já existe a retenção de imposto de renda retido na fonte, a declaração do título no imposto de renda pessoa física é bem simples.

Primeiro, o investidor precisa ficar atento que o CDB quando resgatado ou liquidado, já sofrerá a retenção de imposto de renda retido na fonte.

Desse modo, não há impostos a recolher, o banco ou instituição financeira que emitiu o CDB já faz esse recolhimento para o investidor.

No imposto de renda pessoa física, o investidor deverá informar a posição que tem no CDB na aba de bens e direitos.

Sendo que o valor informado em bens e direitos é referente a aquisição do CDB. O investidor não deve lançar o valor corrigido pelos juros, por exemplo. É somente o valor da aquisição.

Inclusive, o banco no qual o cliente tem conta, vai passar o informe de rendimentos com todos os detalhes necessários para fazer a declaração.

Além da parte de bens e direitos, o investidor também precisa lançar os rendimentos auferidos no período.

Os rendimentos são lançados na aba de Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva.

O preenchimento é bem fácil e prático de ser feito. Lembrando que o investidor deverá informar os rendimentos auferidos, separando cada uma das instituições financeiras.

Na aba de bens e direitos, o investidor deverá informar separadamente cada um dos CDBs. Seguindo essas orientações, o investidor compreenderá melhor como declarar aplicação de renda fixa CDB.

Conclusão

O CDB é uma dos principais investimentos de renda fixa que existe no Brasil, sendo que para os bancos, o CDB é uma das principais formas de captar recursos junto aos seus clientes.

Devido à relevância, o CDB, sem dúvidas, é um dos principais investimentos no Brasil, tendo diversos tipos de rendimentos que podem ser atrelados ao papel.

Vale destacar a garantia do FGC, além de questões vinculadas à liquidez do papel. Quanto maior for o rendimento oferecido pelo CDB, maior será o seu vencimento.

É claro que de banco para banco, o rendimento pode mudar, mas normalmente, quanto mais longo for o vencimento, maior é o rendimento oferecido pelo CDB.

Você compreendeu como funciona a renda fixa CDB? Se ainda tem dúvidas, deixe uma pergunta ao final do artigo e já vamos lhe responder. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.