Quem Pode Recomendar Investimentos Financeiros?

O mundo financeiro vem ganhando espaço. O que não falta são pessoas tentando ajudar ou passando “dicas” de investimentos. Mas quem pode recomendar investimentos? Qualquer pessoa, ou existe algum regulamento para isso?

Todo o assunto que envolve dinheiro deve ser tratado com seriedade. O acesso a internet ajudou muito na divulgação de ideias e de conteúdo.

Quem Pode Recomendar Investimentos Financeiros?

Por isso, é fácil encontrar várias informações sobre diversos assuntos, principalmente sobre investimentos e o mercado financeiro.

Mas nem sempre o conteúdo é de confiança e por isso, é necessário ter alguma instituição que possa dar respaldo ou que certifique que aquele profissional possa dar determinado conteúdo ou informação a respeito do mercado financeiro.

Qual profissional pode fazer recomendações de investimentos financeiros?

Um dos profissionais que pode fazer recomendação de investimentos e até realizar a gestão de carteiras é o consultor de investimentos. Sendo que o consultor tem sua atividade regida pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Profissionais que não possuem a certificação junto a CVM não podem desempenhar o trabalho e podem ser notificados.

Inclusive para aqueles que procuram por indicações de investimento, antes de acatar eventuais sugestões, veja se o profissional possui certificação para desempenhar tal função.

O consultor de investimentos pode inclusive fazer recomendação de carteira de investimentos, uma vez que o profissional tem capacidade de fazer indicações de investimento.

Além do consultor de investimentos, existem outros profissionais que podem exercer função similar, como é o caso do gestor de patrimônio.

O gestor de patrimônio pode fazer tudo que o consultor faz, e, além disso, ainda pode investir em nome do cliente.

Ou seja, se o cliente não quiser realizar as compras e vendas da carteira, o gestor de patrimônio pode fazer isso por ele.

Outra profissional que trabalha com investimentos e de certa forma faz indicações é o analista de valores mobiliários.

O profissional que é analista precisa ter credenciais junto a CVM (Certificação Nacional do Profissional de Investimento, CNPI) e tem como objetivo confeccionar relatórios e oferecer suporte aos investidores para a tomada de decisão. A CNPI é oferecida pela APIMEC (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais).

Por se tratar de um serviço que exige alto grau de conhecimento e  se aproxima muito de indicações de investimento (ocorrendo até indicações), o analista de valores mobiliários entra como um profissional que acaba realizando indicações, mesmo que de forma indireta.

Dentro do segmento de analista, há três tipos:

  • Analista Fundamentalista: o analista fundamentalista vai fazer um estudo sobre as características do ativo. Com base nessa análise, será possível determinar valores e estratégias com relação ao investimento. Aspectos como econômico e do setor de atuação, são considerados pelo analista.
  • Analista Técnico: Por meio de gráficos e com auxílio da análise técnica, o profissional poderá reconhecer oportunidades para o investidor. O estudo do analista leva em consideração o ativo alvo e o perfil de risco do investidor.
  •  Analista Pleno: O profissional que consegue combinar o conhecimento do analista fundamentalista e técnico, é o Pleno.

Por fim, existe a figura do gestor de fundo. O gestor de fundo tem atuação junto a fundos de investimentos.

Existem fundos que possuem patrimônio de milhões de reais, sendo que o gestor de fundos é o profissional capacitado a administrar e gerir a carteira.

É crime recomendar investimento?

Segundo o Supremo Tribunal de Justiça, o STJ, é crime federal indicar investimento coletivo sem as devidas credenciais da CVM.

As indicações feitas em sites ou em redes sociais, sem que sejam feitas por uma pessoa devidamente credenciada pela CVM podem prejudicar várias pessoas e até comprometer parte da renda ou do dinheiro poupado.

Os danos que uma indicação errada pode causar são gigantescos. Há casos onde as pessoas chegam a buscar crédito junto a bancos na tentativa de conseguir realizar a operação.

Comprometer renda e até empréstimos para investir algo que não se tem total conhecimento e que é indicado por uma pessoa que não tem as devidas credenciais e nem experiência, é extremamente arriscado.

O simples fato de buscar empréstimos para conseguir realizar um investimento já é errado. A pessoa que pode investir deve fazer isso com valores que tem e que não precisará no curto prazo.  Buscar mais dinheiro com o intuito de arriscar é perigoso.

De qualquer forma, na hora de avaliar uma indicação de investimento busque conhecer mais sobre a pessoa e fique atento a informações sobre a página ou o perfil na rede social.

Qual profissional trabalha com investimentos?

Há diversos profissionais que trabalham com investimentos. Além do consultor e dos gestores, existe ainda a figura do agente autônomo de investimentos.

O agente autônomo é o profissional que faz o atendimento dos clientes junto a corretoras, como é o caso da XP, BTG Pactual e tantas outras corretoras.

O agente autônomo não possui autonomia para fazer a indicação de investimento, mas ele vai exercer a função de intermediar a relação entre você e a bolsa de valores.

Por meio de plataformas, como o Home Broker e os “shoppings financeiros”, os agentes autônomos conseguem disponibilizar aos seus clientes uma grande quantidade de ativos.

Para se tornar um agente autônomo de investimentos, a pessoa precisa fazer uma prova e se tornar credenciada junto a: Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord).

Outro profissional que trabalha com investimentos, mas não tem competências para fazer indicações é o planejador financeiro.

O planejador vai trabalhar com investimentos, mas de forma mais superficial. O foco de tal profissional é na área de planejamento, tanto para aqueles que possuem recursos e não sabem o que fazer quanto àqueles que estão com dificuldades financeiras e precisam de ajuda para equilibrar o orçamento novamente.

Para se tornar um planejador financeiro a pessoa não precisa realizar provas, mas para tentar ganhar mais prestígio no mercado, é possível fazer a prova e se credenciar junto a Financial Planning Standards Board (FPSB).

Por ser uma instituição estrangeira, no Brasil a certificação é feita pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar).

Aqueles que conseguem o CFP (CERTIFIED FINANCIAL PLANNER) têm mais prestígio e relevância no mercado.

Vale destacar que para realizar as provas junto aos órgãos competentes, o investidor precisa estudar e fazer um bom preparo. Normalmente essas provas são bem exigentes.

Como se declarar investidor qualificado?

O investidor qualificado é aquele que possui patrimônio equivalente ou superior a 1 milhão de reais.

Além do patrimônio, o investidor precisa comprovar o seu status como investidor qualificado por meio de documento junto à corretora na qual tem conta.

Ao assinar o documento e manifestar sua vontade de se tornar um investidor qualificado, o mesmo será considerado como um.

Como investidor qualificado, a pessoa vai ter acesso a outros produtos financeiros, produtos que podem ser bons ou ruins.

Devido à qualificação, o mercado compreende que o investidor tem experiência e conhecimento para compreender os riscos e eventuais ganhos que tais produtos podem oferecer.

Há muitos investimentos que só podem ser acessados por investidores qualificados, como é o caso do CRI (Certificado de Recebíveis imobiliários) e CRA (certificado de recebíveis do agronegócio), alguns fundos de investimentos e outros papéis negociados em bolsa.

Em resumo, por mais que seja interessante ser reconhecido como um investidor qualificado é preciso ter atenção. O mercado financeiro é repleto de ativos e existem vários outros que não são oferecidos aos investidores “comuns”.

Esses produtos normalmente são alvo de grandes investidores e fundos de investimento. A dificuldade de acesso vem tanto do valor quanto da complexidade do produto.

Por isso, ao se tornar um investidor qualificado, tenha bastante atenção. Lembrando sempre que grandes retornos vêm junto de elevado risco. 

Conclusão

Investimento é coisa séria. É comum ver pessoas fazendo indicações sobre um determinado ativo, ou estratégia.

Se a pessoa tem as credenciais junto a CVM, não há problemas, mas se não há credenciais, então o conteúdo se torna duvidoso.

Hoje existem várias casas de research, como é o caso da Empiricus, Suno, Eleven e várias outras. Todas essas casas possuem sistema de recomendação de investimentos, onde o trabalho é desenvolvido por pessoas com as devidas credenciais junto a CVM e demais órgãos.

Mesmo assim, nem sempre tais indicações vão entregar resultados positivos. Ou seja, se profissionais tão experientes já têm certa dificuldade em entregar bons resultados, imagina aqueles que não possuem tal experiência, ou não têm os devidos recursos para buscar informações sobre determinado ativo.

Considerando todos esses pontos, o investidor deve ter cuidado para avaliar indicações e sugestões de investimentos, ficando sempre atento às certificações da pessoa e instituição.

Você compreendeu quem pode recomendar investimentos? Há dúvidas? Deixe uma pergunta ao final que já vamos lhe responder. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.