Por Que a Renda Variável Possui Esse Nome?

Os investimentos podem ser divididos em dois grandes grupos. De um lado a renda variável e do outro a fixa. Você sabe por que a renda variável possui esse nome?

Por Que a Renda Variável Possui Esse Nome?

Tanto os investimentos de renda variável e renda fixa possuem duas definições. Os produtos de renda fixa recebem esse novo, devido à previsibilidade referente aos seus rendimentos.

Portanto, quando se investe em uma letra do Tesouro Direto, o investidor já sabe de antemão qual será o seu rendimento. E na renda variável, como funciona isso?

O que significa o termo renda variável?

O termo renda variável é utilizado para denominar os produtos financeiros que não possuem previsibilidade com relação à rentabilidade.

Em outras palavras, ao investir em um produto de renda variável, o investidor pode conquistar resultados que vão desde 100% de rendimento (ou mais) em poucos dias, ou pode acabar perdendo todo o dinheiro.

Então o que é renda variável? São investimentos cujo rendimento não é previamente conhecido.

Ambos os rendimentos sugeridos aqui, não são descritos e tão pouco previsíveis, eles simplesmente podem acontecer e o investidor deve estar preparado para avaliar com antecedência os riscos do investimento.

Ao comparar a renda fixa com a renda variável dá para notar que existe uma grande diferença com relação à previsibilidade do rendimento e do risco.

Se na renda fixa o investidor conhece com antecedência qual será sua rentabilidade, na renda variável, isso não é possível. Portanto, a renda variável tem um grau de risco maior.

Quais são os títulos de renda variável?

Há vários investimentos de renda variável, os principais são:

  • Ações
  • Fundos Imobiliários
  • BDR
  • ETF

As ações representam as partes de uma empresa. Investindo em ações, a pessoa se torna sócia da empresa e dependendo da quantidade e tipo de ação, a pessoa pode inclusive participar do comando da companhia.

Ao investir em ações a pessoa tem o direito de receber dividendos, juros sobre capital próprio e ainda surfar na eventual valorização da ação na bolsa. O prejuízo também acontece, caso o valor da ação caia e o investidor venda.

Os fundos imobiliários são similares às ações, mas ao invés de representar a menor parte de uma empresa, os FII, são cotas de fundos que investem em títulos com lastro em imóveis ou no próprio imóvel.

Se o investidor tem a intenção de viver de renda através de imóveis, os FIIs são uma forma mais interessante de alcançar tal objetivo.

Os BDR (Brazilian Depositary Receipt) é um certificado de depósito que representa uma ação do exterior, mais propriamente dos Estados Unidos.

Por meio do BDR o investidor tem acesso a ações que antes, só poderiam ser adquiridas com uma conta no exterior. Agora é possível através da bolsa brasileira.

Por último temos os ETF (Exchange Traded Fund) que são fundos de índices negociados em bolsa. Ao invés de comprar várias ações, ou tentar replicar o índice Ibovespa, comprando cada uma das ações, o investidor pode simplesmente investir em um ETF.

Há também BDR de ETF dentro da bolsa. Isso dá ainda mais alternativas de investimento aos interessados.

Como funciona o investimento em renda variável?

Ao comprar ações, fundos imobiliários, ETF e BDR o investidor pode adotar uma estratégia visando o longo prazo ou curto prazo.

Quando a estratégia é no curto prazo, é comum dizer que o investidor vai adotar práticas de day trade, ou e trader.

Já quando o investidor focar no longo prazo, o mesmo vai se utilizar de alguns conceitos, como o Value Investing, ou o Buy and Hold, por exemplo.

O day Trader, ou investidor de curto prazo, busca ganhos na volatilidade do dia a dia. Já o investidor de longo prazo, busca elevados retornos no passar dos anos. Os ganhos vem tanto dos dividendos e demais distribuições (ações e FII) quanto pela valorização dos ativos.

Quais são os tipos de renda? 

O investimento em ETF não oferece rendimentos, mas os investimentos em BDR, ações e fundos imobiliários sim.

Através dos fundos imobiliários, os rendimentos vêm referentes aos ganhos que os fundos conseguem por meio das receitas com títulos, transações, aluguéis e demais valores.

Já o investimento em ações e BDRs oferecem dividendos e no caso específico das ações, juro sobre capital próprio.

O juro sobre capital próprio e os dividendos recebidos por BDR possuem retenção de IR, já os dividendos recebidos por ações e distribuições dos FII são isentos.

Com esses rendimentos auferidos através do investimento em BDR, ações e fundos imobiliários, o investidor consegue construir uma boa fonte de renda bem diversificada.

Conclusão

A renda variável não vai lhe proporcionar previsibilidade com relação aos ganhos com valorização e tão pouco por meio das distribuições e demais tipos de ganhos.

Sendo assim, a principal diferença entre renda fixa e renda variável, está relacionada à previsibilidade dos rendimentos.

Devido a essa dificuldade em reconhecer se os ganhos atuais vão se perpetuar, aumentar, ou até mesmo, diminuir, a renda variável é tão interessante.

Se o investidor almeja ganhos maiores no longo prazo, sem se proporcionar muito no curto e médio prazo, a renda variável pode ser uma ótima opção.

Mas, tudo isso, deve ser acompanhado de disciplina e conhecimento sobre os ativos. Investir em qualquer ação, BDR, ETF ou fundo imobiliário, não vai lhe proporcionar ganhos de longo prazo.

O investidor precisa fazer análise, estudar os ativos e formular uma estratégia de investimento. Você compreendeu por que a renda variável possui esse nome? Ainda tem dúvidas? Então deixe uma pergunta ao final que já vamos lhe responder. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.