ORTN: Saiba O Que era a Obrigação Reajustável do Tesouro Nacional

Um dos principais objetivos de qualquer investidor é encontrar um ativo que ofereça rentabilidade e segurança, sendo que ORTN é um papel assim. Mas então, o que é ORTN?

Em um mundo com tantas alternativas de investimento, das mais diferentes e com diferentes rentabilidades, as ORTN eram seguras e conseguiam entregar rendimentos equivalentes à inflação ou acima.

o que é a ortn

Mas afinal, o que é a ORTN?

ORTN era um título emitido pelo Tesouro Nacional, sendo que o mesmo foi criado em 1964 e teve sua emissão encerrada em 1986.

Como o próprio nome diz, o objetivo do título era entregar ao investidor um ativo que protegesse o capital da inflação, proporcionando a correção monetária.

Um título protegido pela inflação e tendo a segurança do Tesouro Nacional, é alvo atraente e relevante.

Com a criação do título, o Brasil tinha intenção de chamar atenção do capital externo, na tentativa de captar mais recursos e financiar sua dívida.

Qual era o valor da ORTN?

De acordo com a Lei nº 4357 de 16 de julho de 1964, a ORTN tinha sua rentabilidade acima da inflação.

Isso gerava proteção ao capital aplicado e atraia os possíveis investidores. No início dos anos 80, o Brasil estava financiando boa parte dos gastos com a emissão de moeda sem lastro na dívida.

Essa emissão foi uma das causas para o estouro da inflação mais a frente. Normalmente, quando um país precisa financiar seus gastos é necessário aumentar a arrecadação ou aumentar o seu endividamento.

Portanto é comum ver países financiando a própria dívida com a emissão de títulos públicos, mas no caso do Brasil, isso foi mais além, e o governo financiou a própria dívida com emissão sem lastro.

Com o agravamento da inflação no Brasil, no final da década de 80, a ORTN deixou de existir uma vez que houve um congelamento dos preços.

O congelamento de preços foi uma tentativa do governo em frear a inflação. Se a inflação nada mais é do que o aumento dos preços, o congelamento seria uma forma de frear tal situação.

Mas, infelizmente não deu certo e a ORTN deixou de existir. Na época, um título da ORTN tinha um valor de CR 10,64.

O problema que aconteceu com a ORTN e o congelamento de preços foi que a inflação foi “controlada”, mas os preços continuavam a sofrer com a inflação, mas de forma “ilegal”, ou paralela.

Como havia uma regra forte sobre os preços, os supermercados e grandes varejistas começaram a sofrer com o desabastecimento e isso influenciou na comercialização de produtos de forma paralela. Observando tudo isso, a ORTN deixou de existir.

Vale destacar que antes de deixar de existir a ORTN se tornou OTN (Obrigação do Tesouro Nacional).

Qual a finalidade do índice?

O índice ORTN ou da OTN posteriormente tinha como finalidade corrigir o valor aplicado do título.

O grande trunfo da ORTN era corrigir o valor pela inflação e manter o poder de compra do investidor.

Mas com a crise econômica e a inflação galopante que assolou o país a partir da década de 80, o congelamento de preços virou uma realidade e assim, a OTN não conseguiu entregar resultados acima da inflação.

O valor de face do título não acompanhava a inflação e isso foi fundamental para o encerramento das negociações da OTN.

Como calcular ORTN?

Para calcular o valor da ORTN, o investidor precisa considerar o índice inflacionário do período. Em 2000 houve uma adaptação das OTN para valores atuais, considerando a correção pelo IPCA-E. Então, podemos dizer que houve uma revisão ORTN.

Portanto, cada OTN a partir de dezembro de 2000 tinha um valor de R$6,5654. Ao incluir nesse valor a atualização pelo IPCA-E, em 2020, uma OTN teria o valor de aproximadamente R$20,88656.

Vale frisar que as OTN não são mais emitidas pelo governo federal e tão pouco negociadas no mercado financeiro.

Porém, as OTN ainda são utilizadas pelos órgãos públicos como forma de garantia para contratos de licitação.

Agora vamos fazer um exemplo de cálculo de OTN. Vamos supor que um investidor tenha ficado com alguns papéis desde 1989, quando a OTN foi encerrada e assim, permaneceu com os papéis até 2020.

Vamos supor que o investidor tinha 1.000 OTN. Se em 2000 cada OTN tinha um valor de R$6,5654, o investidor ali, tinha um valor total de R$ 6.565,40.

Já em 2020, considerando a correção pela inflação, o valor seria de R$ 20.886,56. Comparado a outras alternativas de investimento, como o próprio CDI, a OTN não era uma das mais atraentes.

Talvez na época fosse, devido a grande inflação, mas hoje em dia não é um título de grande rentabilidade.

Conclusão

Para a época, as ORTN e OTN eram atraentes porque o Brasil enfrentava grandes problemas inflacionários.

O cenário era caótico e não se tinha uma boa previsão sobre a economia e muito menos sobre o poder de compra do dinheiro. Observando tudo isso, o governo precisava de formas para financiar seus gastos.

Havia uma expectativa na época de conseguir reduzir a quantidade de dinheiro circulando e equalizar a base monetária com os títulos negociados por meio das OTN e ORTN.

Mas isso acabou não se concretizando e a situação só piorou na década de 80. Depois, com o encerramento das emissões dos títulos, o governo continuou responsável por aqueles papéis que ainda não tinham sido vencidos.

Ou seja, ainda havia um mercado que detinha as ORTN e OTN e estava esperando os títulos vencerem e liquidarem os valores.

Posteriormente, o governo ainda utilizava os papéis para garantir licitações entre os órgãos da federação.

Compreendeu o que é ORTN? Ainda possui dúvidas? Deixe uma pergunta abaixo e já vamos lhe responder!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *