Não Sabe Onde Investir Dinheiro com Segurança? Veja as Opções

Investir não é uma tarefa fácil. Para aqueles que gostariam de viver dos investimentos, a tarefa precisa de ainda mais atenção. Mas como investir dinheiro com segurança?

A segurança nos investimentos pode ser alcançada de diferentes formas. Tudo isso vai depender de algumas coisas, como o perfil do investidor, além da composição da própria carteira.

onde investir dinheiro com segurança

Se você quer saber mais sobre como investir seu dinheiro com segurança, acompanhe nosso artigo.

Como investir com segurança?

Uma das formas mais tradicionais de mitigar os riscos nos investimentos é por meio da alocação de ativos, ou seja, da diversificação de investimentos em carteira.

Mas antes de começar a investir, faça uma análise do seu perfil de investidor. O perfil é importante para determinar qual é o nível de risco que você está disposto a correr nos investimentos.

Por exemplo, aqueles que não têm muito gosto para o risco, ou seja, não querem ver o dinheiro se desvalorizando e valorizando em espaços curto de tempo, acabam preferindo investimentos mais conservadores.

Nesse sentido, a alocação e diversificação também agregam ainda mais na segurança da carteira.

Já os investidores que possuem um pouco mais de gosto ao risco, procuram aplicações que possam entregar um resultado mais consistente no longo prazo, mas sem tanta volatilidade.

Nesse sentido, aplicações em fundos de investimento e ETF (fundo de índices) acabam se tornando atraentes e podem somar na diversificação e proteção do portfólio.

Por último existem os investidores arrojados que conseguem somar em carteira diferentes tipos de investimentos que vão desde a renda fixa clássica, representada pelo CDB até os produtos mais complexos, como as criptomoedas, commodities, câmbio e opções.

Novamente, mesmo com investimentos que representam risco elevado, a alocação e diversificação conseguem reduzir as oscilações e manter a carteira protegida de maiores riscos.

O que considerar na escolha de um investimento?

A primeira coisa que deve ser considerada é a liquidez. Transformar o investimento em dinheiro novamente é importante.

Mesmo para aqueles que não pretendem resgatar o valor aplicado cedo, é importante compreender quanto tempo o valor ficará aplicado no ativo, antes de comprometer o mesmo.

Por exemplo: vamos supor que o investidor está procurando por um CDB de liquidez restrita ao vencimento e com boa rentabilidade.

Existem bancos que oferecem CDB com liquidez no vencimento, porém o valor só estará disponível em 10 anos para ser resgatado. Ao analisar a instituição, a mesma é pequena e não oferece tanta segurança.

Por mais que haja o FGC (Fundo Garantidor de Crédito), o valor aplicado representa um risco que precisa ser mensurado.

Para um investidor que possui patrimônio relevante e pode comprometer parte dos seus recursos com uma aplicação mais arriscada, o negócio parece ser interessante.

Mas para alguém que tem pouco dinheiro o valor pode ser muito. Mesmo que a aplicação seja na renda fixa, o risco é elevado e pode ser mitigado.

Em uma situação assim, o investidor pode procurar por fundos de investimento, ou outros CDBs, com prazos de vencimento mais curto e com rentabilidade boa também.

Por isso, quando você pensar: “como investir meu dinheiro com segurança?” Escolha opções com boa liquidez.

Quais os tipos de perfis de investidores?

Olhando os perfis que existem de investidores no mercado, existem três que são aqueles mais vistos. Eles são: conservador, moderado e arrojado.

Como já mencionado, cada um dos perfis possui suas características e para conseguir construir uma carteira consistente, o investidor precisa compreender em qual perfil se encaixa melhor.

Conservador

Os conservadores são aqueles que não querem correr tantos riscos. Normalmente esses investidores preferem aplicações de renda fixa com prazos de vencimento mais curtos.

Conforme os investimentos vão evoluindo a segurança vem e as aplicações podem agregar vencimentos mais longos, quem sabe até diversificando um pouco mais e investindo em produtos de renda variável.

Bons exemplos de produtos de renda fixa voltados aos investidores conservadores são:

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário);
  • LCI (Letra de Crédito do Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio);
  • Fundos de investimento;
  • Tesouro Direto.

Cada um desses investimentos possuem diferenças, mas todos são similares. Ao investir, se a pessoa permanecer aplicado até o vencimento, o valor recebido será equivalente a aquele negociado na hora da aplicação.

Portanto, a previsibilidade é uma das principais características dos conservadores.

Moderado

Os investidores considerados moderados possuem um pouco mais de apetite ao risco. Assim, investimentos de renda variável entram na carteira, mas em porções menores.

Normalmente, o investidor moderado ainda dá grande relevância para a renda fixa, mas já está ciente da importância da renda variável, principalmente para longo prazo.

Querendo ou não, é na renda variável que o valor da carteira pode se multiplicar rapidamente. Mas para evitar maiores riscos, e a volatilidade, o investidor moderado possui um percentual menor em produtos de renda variável.

Normalmente, investimentos como os fundos de investimento e fundo de índices entram no portfólio do investidor.

Arrojado

Por último existe o investidor arrojado. Esse investidor tem um apetite maior por risco, não se importando muito com a volatilidade no curto e médio prazo.

Por isso, no longo prazo, aqueles que possuem um perfil arrojado tem a tendência de conseguir multiplicar ainda mais o dinheiro.

Mas para conseguir tal multiplicação, os riscos são maiores e a volatilidade vai ser alta também.

Além dos produtos financeiros que fazem parte das carteiras dos investidores conservadores e moderados, no portfólio do arrojado ainda existe espaço para:

  • Ações;
  • Fundos Imobiliários;
  • Criptomoedas;
  • E demais investimentos.

Onde investir dinheiro com segurança?

Construir uma boa carteira em uma instituição financeira boa é a primeira tarefa. Portanto, o investidor precisa se ater em escolher uma boa corretora, ou banco.

Normalmente as corretoras independentes, são as instituições mais interessantes devido a quantidade de produtos financeiros que as mesmas possuem além dos custos, que são relativamente baixos.

O mercado financeiro no Brasil vem se expandindo bastante, e já existem diversas corretoras. Os grandes bancos também já vêm tentando expandir seus produtos na tentativa de atender a maior quantidade de clientes possível.

Por isso, o que não falta são instituições financeiras. Depois de escolher a correta que vai receber os recursos e será onde os ativos vão ficar custodiados, agora chegou a hora de construir a carteira.

A construção da carteira precisa levar em conta o perfil do investidor. Por mais que haja muitas informações sobre o mercado de ações e de como ele pode ser lucrativo, o investidor precisa avaliar antes a sua situação financeira e o seu perfil.

Se o investidor não consegue ver o patrimônio desvalorizando, e depois valorizando, frequentemente, a renda variável pode não ser a solução nesse momento.

Desse modo, a renda fixa é a melhor opção. De qualquer forma, tanto na renda fixa quanto na variável, para deixar a carteira mais protegida, é importante diversificar.

A diversificação vai reduzir eventuais riscos de o investidor perder tudo, ou uma quantidade substancial da carteira.

Outro ponto importante é a liquidez. Para deixar a carteira ainda mais segura, é importante escolher ativos que possuem muita liquidez. No caso da renda fixa, produtos que tenham vencimento em no máximo dois anos, ou com liquidez diária.

No caso das ações, fundos imobiliários e ETF, o negócio é ficar de olho na quantidade de negócios diários além do volume negociado.

Se o investidor se ater a esses pontos, a segurança da carteira aumenta consideravelmente.

Conclusão

Investir com segurança não é uma tarefa fácil. Existem muitos ativos disponíveis no mercado, e boa parte deles tem alta acessibilidade. Por isso, fica difícil compreender quais são aqueles mais arriscados, e quais não.

Para determinar o que fazer primeiro, o mais interessante é fazer uma análise do perfil do investidor.

As corretoras normalmente fazem essa análise quando o investidor abre a conta na corretora e depois periodicamente.

Ao responder o questionário da corretora, o investidor já consegue ter uma resposta final. Na hora de avaliar os ativos existentes no mercado e decidir qual é o mais seguro, dentre todas as letras do Tesouro, talvez sejam os investimentos mais seguros.

Mais especificamente o Tesouro Selic com vencimento mais curto. A letra Tesouro Selic, é o investimento mais seguro, uma vez que a liquidez é diária, a garantia é oferecida pelo próprio Tesouro Nacional, além da rentabilidade estar vinculada à Selic.

Outro ponto está relacionado à marcação a mercado. O Tesouro Selic de vencimento mais curto terá pouca influência da marcação a mercado.

Dando continuidade a análise, ainda existem outras opções interessantes e seguras. Dentre elas nós temos os fundos DI e os CDBs de liquidez diária.

No mercado há opções de fundos DI com zero taxa administração e investimentos concentrados em letras do Tesouro Selic, assim, a rentabilidade fica similar à letra do Tesouro, sem que haja taxa administrativa para reduzir os ganhos.

Já os bancos vêm oferecendo CDBs com liquidez diária pagando porcentagens do CDI acima dos 100%.

Há alguns bancos chegando a oferecer aos seus clientes opções pagando até 120% do CDI.Aprendeu a como investir dinheiro com segurança? Se você ainda possui dúvidas, deixe uma pergunta ao final do artigo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *