O Que São os Diferimentos em Contabilidade?

Quando uma empresa recebe um adiantamento de recebíveis ou faz um adiantamento a fornecedores, essa companhia está trabalhando com diferimento em contabilidade, você sabia?

Companhias que possuem bons níveis de caixa e tem a oportunidade de pagar adiantado algum tipo de serviço ou produto, acabam realizando o pagamento e isso se torna um diferimento.

o que são os diferimentos na contabilidade

A mesma coisa acontece quando a companhia recebe um adiantamento referente a algum cliente. Mesmo que a empresa não faça a emissão da nota de saída, a firma recebe os valores do cliente e lança isso como diferimento.

O que é diferimento fiscal na contabilidade?

Ao utilizado o diferimento na contabilidade, o empresário está se beneficiando da oportunidade de postergar o recolhimento de impostos, quando tratamos de vendas, por exemplo.

Vamos supor que uma empresa tributada pelo Simples Nacional recebe de um cliente um pedido para entregar uma determinada quantidade de produtos.

O valor total do pedido é de R$ 100 mil, e a empresa solicita ao cliente um adiantamento de R$ 50 mil.

Com o recebimento do adiantamento, a empresa faz a confecção do pedido e em 30 dias entrega o mesmo.

Durante esse período ocorre a contabilidade do mês da firma. Sendo que nesse mês, não haverá o lançamento da nota de saída e na contabilidade os valores recebidos serão reconhecidos como uma receita diferida.

Depois, com o lançamento da nota fiscal, a receita diferida é baixada e é lançado na receita, os valores referentes à venda.

Como no período onde houve o lançamento do adiantamento, não houve o fato da venda (a emissão da nota de saída), não haverá recolhimento de Simples nesse período, ao menos, o recolhimento não incorre sobre o adiantamento ou até mesmo sobre a venda.

O Simples só vai incidir mediante o lançamento da nota de saída. Que no caso, ocorre só 30 dias depois.

Assim, o empresário recebe os recursos e fica totalmente legal perante o fisco.

O que é uma despesa diferida?

A despesa diferida segue a mesma ideia da receita diferida. Vamos supor que um empresário tem o pagamento de um seguro para ser feito.

O seguro tem validade de 12 meses e é pago em uma única cota. Como estamos tratando de um seguro que vai durar 12 meses, os valores pagos serão lançados na despesa diferida e mês a mês serão reconhecidos como uma despesa.

A despesa diferida fica no ativo. Então os valores ficam reconhecidos como uma espécie de adiantamento e no mês a mês são transferidos para a despesa de forma proporcional.

Como contabilizar ativo diferido?

Segundo os preceitos da contabilidade, o ativo diferido é utilizado para acomodar os lançamentos de despesas e custos que são feitos a fim de construir ou elaborar algum bem para a empresa.

Ou seja, uma construtora que está levantando um edifício, ou alguma antecipação de despesa, por exemplo. Ao levantar um edifício, uma construtora terá um alto volume de diferimento de custas.

Haverá contratação de engenheiros, pagamento de alvarás, notas de materiais de construção, terraplenagem, design de interiores, enfim, diversas despesas que vão compor a construção do edifício.

Tudo isso é lançado direto na despesa? Não. Por se tratar de uma construtora e de um bem que será alvo de venda da própria empresa, todas as despesas vão para o ativo da companhia.

A contabilidade inclusive pode criar uma conta no estoque alocando os lançamentos e vinculados os mesmos abaixo do CEI da obra, por exemplo.

Assim, quando a obra for dada como terminada, o bem é unificado em uma única conta no estoque e as unidades, quando vendidas, podem ser reconhecidas como custo.

Outro bom exemplo de ativo diferido está relacionado ao pagamento de seguro. Um seguro, normalmente conta com a validade de 12 meses.

Às vezes as empresas quando possuem caixa, fazem o pagamento do seguro à vista, mas, na contabilidade, os valores são reconhecidos mensalmente.

Portanto o valor integral é lançado no ativo, como diferido e mês a mês, é feito a baixa do valor contra a despesa, de forma proporcional aos 12 meses.

O que é permanente diferido?

Empresas que estão fazendo a aquisição de um maquinário, ou estão construindo um imóvel, possuem um permanente diferido.

Vamos supor que uma indústria está realizando a aquisição de partes de um imobilizado, um maquinário.

Em um primeiro momento vem um terço dessa máquina e posteriormente mais um terço e por fim a última parte.

Por se tratar de um maquinário que vai ser montado e terá o seu valor, as peças entram como um permanente diferido e ainda não é passível de depreciação.

Ou seja, a depreciação só poderá ocorrer quando o bem estiver montado. Outro exemplo é referente a reforma de algum imóvel da empresa.

A reforma por si só, não pode ser alvo de depreciação também. Em sua conclusão, a benfeitoria é integrada ao imóvel, dentro da contabilidade, e assim, é efetuado a devida depreciação.

Enquanto a benfeitoria não é encerrada, temos uma conta de permanente diferido.

Conclusão

O diferimento na contabilidade é um conceito importante e relevante. Sem o diferimento, a contabilidade de uma empresa pode apresentar um resultado que não existe.

Tanto para receitas quanto para as despesas, o diferimento é essencial e através dele, é possível transparecer determinadas operações de uma companhia.

Como a construção de um imóvel, montagem de maquinário, reconhecimento de um seguro e com relação às receitas, o diferimento oferece a condição de lançar os valores recebidos de forma adiantada sem necessidade de tributar tal quantia.

Você compreendeu a contabilidade diferimento? Ainda tem dúvidas? Então deixe uma pergunta abaixo que já vamos lhe responder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *